Gestão das Emoções – A viagem começou

E hoje foi o inicio de uma viagem de descoberta das emoções dos mais pequenos (entre 6 e 10 anos de idade), os futuros astronautas da nossa cidade

Ainda antes de entrarmos na sala, procurámos identificar como é que cada um se estava a sentir…

observámos o nosso corpo, descrevemos o que sentimos acontecer no corpo (mãos a tremer… coração acelerado…) e demos nomes a isso….

Então, descobrimos que alguns estavam nervosos, outros ansiosos, outros com sono, outros com medo e outros inseguros.

Alguns não conheciam os colegas e estavam ansiosos por isso, outros não sabiam exatamente o que iam fazer, outros ainda não me conheciam a mim… além disso havia algo em comum a todos, inclusive eu: nenhum de nós conhecia o espaço onde íamos estar.

Eu mesma dei o exemplo, de como me estava a sentir por não conhecer o espaço onde ia trabalhar com eles e expliquei que é normal nos sentirmos assim, um pouco nervosos ou ansiosos, quando fazemos algo pela primeira vez.

É primordial para mim que todos se sintam seguros comigo! Então a confiança foi trabalhada a partir do momento que nos encontrámos.

Aproveitei a oportunidade de não conhecermos o espaço/sala e pedi que entrassem um a um, de olhos vendados e que caminhassem com segurança.

Fui comunicando com eles, sem lhes tocar. Observando neles a forma como o corpo deles comunica com o desconhecido. Partilhei com eles também que, mesmo que tocassem em algum lado, para se manterem de olhos fechados porque eu estava ali e não ia permitir que se magoassem. A confiança foi adquirida com facilidade e eu consegui medir o nível de segurança que estas crianças têm em si mesmas e nos outros.

Antes de abrirem os olhos pedi que descrevessem como imaginavam a sala (puxando a criatividade) e no final quando disse: podem abrir os olhos…. Observei cuidadosamente as expressões naturais deles… que me permitiram perceber se no dia a dia deles estão mais habituados a lidar com o entusiasmo ou com a frustração.

A reação foi unânime Woooowwwwwww (Obrigada Edite pela sala linda e tão acolhedora) fez com que visse brilho nos olhos dos nossos pequenos e isso é valioso!!!

A partir daí escolheram um local onde se sentar. O que também me permitiu perceber se são mais introvertidos, extrovertidos e demos inicio às partilhas.

É maravilhoso quando os deixamos falar… escolhemos observar a forma como se exprimem, a forma como ouvem, como se mexem… como atacam como se defendem… e como na mesma sessão, ao estarem perante os outros colegas, eles mesmo foram mudando algumas posturas.

De coração cheio, de espirito leve com a certeza de que este trabalho é necessário agradeço a vocês pais por me confiarem fazer este trabalho com os vossos filhos.

Parabéns a vocês que já começam a despertar para a importância do equilíbrio das nossas emoções!

Alexandra Leal dos Santos

NeuroCoach das Emoções e Terapeuta comportamental

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *