Gestão das Emoções 15Maio21

No grupo dos 9 aos 11 começámos a aprender sobre o julgamento. O julgamento que fazemos sobre os outros e muitas vezes sobre nós mesmos.

Quantas não são as vezes que nos chamamos de burros, porque não conseguimos fazer bem à primeira e outra pessoa fez?

Quantas não são as vezes que desistimos antes de tentar?

Quantas não são as vezes que arranjamos desculpas para não fazer aquilo que sabemos que não fazemos tão bem?

Pois assim foi a sessão deste fim de semana.

Foram feitas 2 atividades lúdicas em que percebemos como é que cada elemento da equipa tem tendência a agir perante as coisas que não conhece, ou ainda não sabe fazer.

Tivemos quem desistiu antes de começar. (tentou) porque não deixámos… 🙂

Tivemos quem começou e não acabou, tivemos quem motivava a continuar e tivemos quem motivava a desistir.

Então o que foi mostrado? Que não somos da mesma forma sempre. Perante as situações podemos e devemos mudar a nossa forma de agir perante o resultado que desejamos alcançar.

Se somos uma equipa, somos parte dessa equipa, se um de nós desistir, a equipa não vai alcançar o resultado. É importante identificar as competências que temos para que quando forem exigidas outras, estejamos à altura para nos adaptar.

Numa das atividades, a mesma equipa tinha como objetivo me entregarem o balão que tinham preso a um pé, ainda cheio.

É curioso que quanto mais pequenos são, menos “maldade têm” ou seja, para cada um deles foi mais importante focarem-se no seu balão e trazerem o seu balão a mim, cheio… do que se preocuparem em rebentar o balão dos colegas 🙂

A mesma atividade feita em adultos… na grande maioria, preocupam-se mais em rebentar os balões dos adversários do que se focarem no seu balão e leva-lo a bom porto.

Para reflexão: Nós já fomos crianças… e nos valores nunca o deveriamos deixar de o ser.

Alexandra Leal dos Santos – NeuroCoach das Emoções e Terapeuta Comportamental

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *