Um dia vou chegar lá!

Todos os dias se repetem frases de esperança como “um dia vou chegar lá”, “um dia ficará tudo bem”, “um dia voltará”, “um dia serei feliz”.

Sei que estas mesmas frases são ditas com fé, com esperança, com boa intenção.

Já são muitas as pessoas que procuram pensar positivo e que acreditam que pensar positivo as levará a esse tal dia em que tudo ficará tudo perfeito. É aqui é onde reside o perigo. Se por um lado pensar positivo nos trás essa esperança, por outro, observarmos que os dias vão passando e aquele entusiasmo, aquela esperança de que realmente as coisas vão mudar, vai ficando cada vez menor e isso faz-nos sentir ansiedade, frustração, desilusão, insatisfação e de certa forma vontade de desistir.

Sinto que para a maioria sentir entusiasmo, motivação, alegria depende das “coisas mudarem” lá fora, quando o que acontece é precisamente o oposto. As “coisas mudarem lá fora” é que dependem do nosso entusiasmo, da nossa alegria, da nossa motivação em realizar e viver a vida.

Pensar positivo e ficar à espera que coisas diferentes aconteçam não nos vai levar a bom porto.

Então o que é importante perceber? O que é que nos pode ajudar a minimizar essa ansiedade desse tal dia chegue?

A primeira coisa a fazer é largar a crença que realmente esse dia vai chegar! Esse dia perfeito não vai chegar!

Dificilmente vai chegar um momento que a partir daí tudo será perfeito! Não existe o momento em que vamos deixar de nos sentir tristes, rejeitados, frustrados…

A vida é feita de momentos. E a valorização e a presença em cada um desses momentos é que fará toda a diferença na tua vida.

Certamente já vivemos momentos maravilhosos. Não tenho dúvidas disso. Agora será que esses momentos foram valorizados? Ou no momento da conquista “foi bom, mas não fiz mais que a minha obrigação”ou, “correu bem mas… “ sabendo que depois deste mas… vem toda a frustração daquele ideal que criamos como perfeito e que no fundo … continuamos à espera de algo melhor.

Será que nada do que temos é suficiente? Estamos a tempo de trazer essa ilusão de dia perfeito longínquo, para os pequenos momentos do dia a dia, criando memórias saudáveis e felizes. Aí sim, não desejamos chegar a um dia feliz, mas escolhemos viver pequenos momentos felizes todos os dias.

Artigo publicado na edição de Maio no Jornal “O Figueirense”

Alexandra Leal dos Santos – NeuroCoach das Emoções e Terapeuta Comportamental

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *